Escrito em 09 de dez de 2011

Cirurgia na coluna: Quando é necessária, como funciona e quais os riscos?

Categorias: Sua Saúde    Autor: Hospital 9 de Julho   
 

Das pessoas com problema de coluna, uma minoria precisa de tratamento cirugico, com medicações analgesicas, anti-infla, relaxante, anti-depressivos, anti-convulsivos, além de fisioterapia e RPG.

Doenças como fibromialgia, por exemplo que pode causar desconfortos na coluna, mas tem em sua origem outros males que não requerem procedimento cirúrgico. Outro caso que pode ser confundido é o de homens jovens que sentem dores nas costas pela manhã, que vai melhorando no decorrer do dia. Essas situações denotam normalmente problemas reumatológicos e requerem outros tipos de tratamentos.

A cirurgia de coluna é necessária quando o paciente não melhora dos seus sintomas através de outros tratamentos e nos exames de imagem identifica-se um problema que é tratável cirurgicamente.

Os casos mais comuns de problemas passíveis desse tipo de intervenção são os degenerativos, surgidos normalmente em pessoas com mais idade. À medida que idoso sofre alterações em seu metabolismo, podem aparecer problemas como hérnia de disco, a espondilolistese – que é o deslizamento de uma vértebra para a frente, trás ou para os lados e que pode causar dores ou irritação da raiz nervosa -, e casos de estreitamento do orifício de passagem do nervo, que pode causar problemas comuns como ciática, por exemplo.

Há quem se assuste ao ouvir falar em cirurgias na coluna. Mas com os avanços da medicina, hoje em dia existem vários tipos de tratamento não invasivos, feitos com agulhas através da pele, ou pequenas aberturas na pele e na musculatura. Apenas grandes cirurgias, normalmente requerem o uso de pinos em seu processo, mas graças às diversas novas técnicas existentes hoje em dia, os riscos de seqüelas após esse tipo de procedimento são mínimos.

Para atender com excelência as patologias relacionadas à coluna, o Hospital 9 de Julho dispõe de um Centro de Coluna com equipe multidisciplinar capacitada para atender pacientes que necessitam de tratamento e, em alguns casos, cirurgia de doenças nas regiões da coluna. O grupo é composto por neurocirurgiões, neurologistas, ortopedistas e fisiatras, além de fisioterapeutas, que tratam de doenças como lombalgias, cervicalgias, hérnia de disco, artrose, entre outros.